terça-feira, 16 de novembro de 2010

Deficiência




Não devia importar se eu tenho ou não duas pernas, se eu posso ou não andar do jeito convencional, se "enxergo" o mundo do jeito normal ou não, se me falta o que as outras pessoas tem, não devia, mas importa !


Numa sociedade extremamente visual e elitista, os "normais" (a maioria deles) se acham melhores por terem tudo que um ser humano devia ter, fazendo com que as "deficientes" se sintam cada vez mais excluídas, sem o direito de ir e vir, sem o direito de expressar suas opiniões, afinal de contas, a democracia que todos enaltecem de forma errada se trata disso: garantir o direito da maioria. Maioria essa que não sentem diferença se em uma calçada tem rampa, se o semáforo faz algum tipo de sinal sonoro, se tem um tipo específico de azulejo indicando onde ficam as faixas de pedestre, pois pra elas não há necessidade de nada disso e também se não é comigo o problema não é meu! ERRADO! Muito ERRADO! Uma coisa só nos incomoda quando nos afeta diretamente ou afeta alguém que nós amamos, que de certa forma devia ser qualquer ser humano, cadê a tal filosofia de sermos iguais sobre à vista do Criador? Se somos mesmo sua imagem e semelhança devíamos tratar os outros como gostaríamos de ser tratados. A sociedade atual além de elitista e demasiadamente preocupada com a aparência das pessoas, está num estágio avançado de inversão de valores, onde ser solidário, honesto, verdadeiro, amigo e outros tipos de qualidades são vistos como coisas ruins onde seres humanos com tais qualidades são bobos, idiotas, trouxas, hoje em dia ser humano bom é o enganador, o esperto, o que faz o outro sofrer,o que não ajuda ninguém.Vejo um mundo egoísta e que a verdadeira deficiência está na cabeça das pessoas, que não vêem que a diferença que nos torna interessantes e se formos descriminar as pessoas pelas poucas diferenças físicas, todos nós devíamos ser descriminados porque ninguém é igual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário